Mostrando postagens com marcador plástica. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador plástica. Mostrar todas as postagens

Fazer uma plástica

3
Penso que, nove em dez mulheres, teem vontade de mudar o corpo, fazer uma plástica ou se submeter a uma lipoaspiração. Eu particularmente não tenho coragem de fazer nada disso. Vontade até eu tenho,  é claro!

Conheço mulheres que já fizeram duas, três vezes, e vão continuar fazendo pro resto da vida...Tem gente até que acha tão normal, que parece que vai ao salão mudar um pouquinho o visual.  E os riscos que correm na sala de cirurgia, aiaiai  nem quero pensar... O danado é que depois da plástica a mulher tem mais que se cuidar e não relaxar, senão volta tudo como antes...
Essa semana a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), lançou uma cartilha que muda a regulamentação dos procedimentos.O documento de três páginas reúne orientações principalmente em relação à realização de exames pré-operatórios e a importância da anestesia. “O anestesiologista não pode sair da sala e nunca deve fazer dois procedimentos ao mesmo tempo”, enfatiza o texto. Todos os profissionais, na verdade, precisam evitar realizar funções múltiplas, que prolonguem o tempo da operação. “Depois de quatro horas, os riscos de complicações cirúrgicas aumentam”.(veja.abril.com.br)
Campeã das cirurgias plásticas - é o procedimento mais feito pelas brasileiras -, a lipoaspiração conquista cada vez mais adeptas, tornando-se acessível também para mulheres com pouco dinheiro, mas que buscam uma forma física perfeita. A popularização dessa cirurgia, contudo, motivou o surgimento de clínicas com infraestrutura precária, onde as pacientes enfrentam muitos riscos. 



1. Quando é indicado fazer uma lipoaspiração?
A lipoaspiração é um procedimento cirúrgico indicado para pessoas que têm um acúmulo de gordura localizada que a paciente não consegue eliminar através da combinaçâo de dieta e exercícios físicos. “A lipo não é um método de emagrecimento”,


2. Ela é a única forma de eliminar a gordura localizada?
Na maioria dos casos, sim. O cirurgião plástico Adriano Romiti, do Hospital São Camilo, explica que isso acontece quando uma pessoa perdeu todo o excesso de peso, mas o volume de gordura concentrado em algum lugar continua. "Nas mulheres, por exemplo, isso acontece principalmente no culote, onde costuma restar uma gordura que é difícil de perder da forma convencional".

 3. Em que casos a cirurgia não deve ser feita?
As principais contraindicações referem-se a casos de pacientes que tenham excesso exagerado de peso ou muita flacidez de pele. Se a pessoa não apresenta condições clínicas adequadas - quando tem hipertensão, alergia severa ou arritmia, por exemplo - o procedimento também é desaconselhado. O presidente da SBCP informa que é preciso ter cautela antes de operar pacientes muito jovens. Ele afirma que é importante se certificar de que a pessoa tenha tentado outros métodos antes. Caso confirmada a necessidade, o procedimento pode ser feito a partir dos 17 ou 18 anos.


4. É necessária a realização de exames prévios?
Os médicos consultados por VEJA.com são categóricos ao afirmar que o paciente deve ser submetido a todos os exames que são obrigatórios antes de qualquer outro tipo de cirurgia. Eles concordam também ao dizer que é imprescindível a realização de uma boa avaliação clínica. É com ela que o médico diagnosticará quais são as necessidades específicas de cada pessoa. Numa pessoa idosa, por exemplo, a atenção pode ser voltada para problemas relacionados ao coração


5.Quais complicações são mais comuns durante o procedimento?
A lipoaspiração é uma cirurgia como outra qualquer e, por isso, apresenta sérios riscos. Entre as complicações estão a embolia (quando uma placa de gordura ou de sangue se desloca e obstrui outro local) e as reações alérgicas anafiláticas. Segundo Romiti, além dos exames pré-operatórios e de avaliação clínica, é importante que a paciente tenha uma conversa sincera com o médico antes da operação. "Muitas vezes a pessoa está tomando ou tomou um remédio que não quer contar para o médico por medo que ele proíba o procedimento", explicou. Se isso acontece, o risco de apresentar alguma reação inesperada é maior.


6.Qual a diferença entre lipoaspiração e lipoescultura?
"Os dois termos são praticamente sinônimos", disse Romiti. O presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica disse que o princípio é o mesmo. Na lipoaspiração, apenas retira-se a gordura de um determinado local do corpo. Na lipoescultura, o médico usa a mesma gordura retirada na lipoaspiração e a enxerta em outro lugar que o paciente desejar remodelar ou preencher.